top of page
  • Foto do escritorEspaço Psiquismo

Desafios Alimentares no Transtorno do Espectro Autista (TEA): Estratégias e Abordagens



O transtorno do espectro autista (TEA) é caracterizado por um conjunto de síndromes neurodesenvolvimentais que surgem na primeira infância. Essas síndromes diferenciam-se pela presença de déficits na comunicação e interação social, além de padrões repetitivos e restritos de comportamento.


A gravidade dos sintomas varia consideravelmente entre os indivíduos afetados, tornando-o um transtorno heterogêneo.




Compreendendo os Desafios Alimentares no TEA

No aspecto alimentar, os portadores de TEA são os mais propensos a exibir comportamentos alimentares atípicos, como seletividade alimentar, posturas perturbadoras durante as refeições e repertório alimentar limitado, entre outros. Distúrbios alimentares afetam cerca de 51% a 89% das crianças com TEA, atribuídos a fatores ambientais, cognitivos e comportamentais, que variam desde a necessidade de manter repetitividade e rituais até as características dos alimentos, como textura, cor e sabor. Comorbidades associadas incluem sintomas gastrointestinais, problemas de sono, comportamentais e ansiedade.


Impacto dos Comportamentos Alimentares

Estudos indicam que crianças e adolescentes com TEA apresentam maiores alterações em comportamentos alimentares, especialmente na seletividade alimentar, seguida de aspectos comportamentais e motricidade na mastigação. Menores alterações foram encontradas em sensibilidade sensorial, sintomas gastrointestinais e habilidades nas refeições.


A introdução de novos alimentos para crianças autistas com seletividade alimentar representa um desafio adicional, podendo desencadear manifestações de recusa como choro, arremesso de objetos, agressão, cuspir e empurrar a comida. Nesse contexto, o envolvimento familiar, principalmente dos pais, é crucial para o sucesso na melhoria da dieta das crianças autistas.


O Papel da Equipe Multidisciplinar

No contexto do transtorno do espectro autista (TEA), a equipe multidisciplinar desempenha um papel fundamental no diagnóstico, tratamento e manejo dos desafios enfrentados pelas crianças e suas famílias. Esta equipe é composta por profissionais de diversas áreas, como psicologia, neuropsicologia, fonoaudiologia e nutricionista, entre outras, trabalhando de forma integrada para proporcionar uma abordagem abrangente e personalizada.


Texto elaborado por Gina M G Sommerfeld - Formação em Psicologia Clínica e Saúde Psicossomática

12 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page